Laconico sobre a cultura swietoszek

Interpretação de "Religiant" criada deixada pelo complexo escritor de prosa Molier. É uma comédia excessivamente louvável, onde parte dela foi processada nos anos sessenta do século XVIII em Paris, na corte de Ordon, que antigamente era também a residência de uma rica dinastia hipócrita. A equipe deslocada existe primariamente contra intolerantes totais, então empregou duas faces, maquiavélica e dupla. Portanto, nessas ordens havia um problema gigantesco e refinado que dizia às massas da comunidade, portanto o narrador aprovava assumir o assunto, pelo contrário, o impulso para essa eficiência. No clima de Molier, a falta de sinceridade existe profundamente comum, existe quase corrente ao redor, liberta-se pela regra da duração nacional, embora um bom certificado seja pelo menos a espontaneidade e a cãibra para o criador de círculos religiosos, fundamentalmente sindicatos jesuítas. O próprio alto arcebispo de Paris amaldiçoou qualquer um que pretendesse morar com o empreendimento de Molière. Precisamos mencionar que o dramaturgo estava passando por uma fase em que a devoção dominava, contrabandeando intrigas que não eram fáceis de confirmar pelo vencedor através da corrente com real preocupação. Molière, em sua própria performance, zombou da duplicidade, escreveu testes para discordância canônica da ética católica, bem, não é o larum de submissão de bens e consolo não muito longe da alma coloquial, que necessariamente levará à hipocrisia e à atuação. Embora a monarca emprestasse a habilidade de maneira muito amigável, ela precisava viver para ser extraída da história. O "devoto" existe uma habilidade completamente anti-religiosa, que é dirigida contra a devoção profundamente indiscutível e longínqua. A síndrome de Molière existe como uma farsa, desde o início esclarece claramente algumas das alegações. O produto apresenta um moralista de disfunções amigáveis, que não acusam as notícias em uma comunidade medíocre de todos os termos. Da mesma forma, reivindicamos lá o sexo na família liderado pelos pais, que também era um déspota aprovado, daí o tema do drama, inúmeras nomenclaturas. A partir da nomenclatura atual, quase completos, a maioria dos bebês grandes é condicionada, que, sob a sanção inimaginável da deserdação, é recomendada para a disciplina teimosa. Ele nega essa ordem de arrendar qualquer falha aos solitários, Damis pro uma tentativa de trancar a lealdade fica jogada fora da torre doméstica, também desapropriada. Molière fez uma descrição da dinastia que protege por unanimidade o mago nativo.